Com o inverno a se aproximar, a Cidade Maravilhosa perde a famosa essência quente de “Rio 40°”, mas se por um lado, o frio não dá praia, por outro, abre um leque de passeios que, no verão, costumam ser deixados de lado pelo dia de mar. É fato que o litoral é mesmo irresistível, mas os parques no Rio de Janeiro são lindos, verdadeiros refúgios verdes que, além de encher o roteiro do viajante com belas paisagens naturais, ainda rendem boas caminhadas que espantam o friozinho.

Descubra belos parques no Rio de Janeiro viajando com as tarifas especiais do Zarpo

Um dos mais importantes parques no Rio de Janeiro

Logo na entrada, um caminho cercado por imponentes Palmeiras-Imperiais recebe os visitantes, anunciando que o passeio promete boas fotos e lembranças. Pegue o mapa para se situar, já que a área que abrange um dos maiores parques no Rio de Janeiro, é de 137 hectares. O parque centenário foi criado em 1808 e, após diversas mudanças, ainda se mantém um santuário ecológico e faz parte da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica, que preserva a nossa mata ameaçada, uma das maiores riquezas naturais do país.

Natália Leme

Reserve ao menos meio dia de passeio para dar conta de ver parte das 6500 espécies de plantas espalhadas pelo parque, e caminhe sem pressa, sentindo o perfume da natureza e apreciando as gigantes árvores centenárias, as 15 mil espécies de bromélias, o lindo orquidário, os animais, o temático jardim japonês, as esculturas, fontes e lagos, como o belíssimo lago da Vitória-Régia, com as gigantes plantas aquáticas e lindas flores de lótus.

Em um dos principais parques no Rio de Janeiro, o visitante encontra lanchonete, parquinho e pode conhecer o Museu do Meio Ambiente, o Museu Casa dos Pilões e o Espaço Tom Jobim, com teatro, espaço de exposições e acervo completo do compositor.

O romântico Parque Lage

Apesar de muito lindo, este é um dos parques no Rio de Janeiro que passa despercebido pelos visitantes. O que acaba sendo um desperdício, pois situado aos pés do Corcovado, o Parque Lage garante um cenário incrível para fotos e também rende algumas horinhas gostosas em meio à natureza preservada da capital.

Após ter sido engenho de cana-de-açúcar, no século 16, e passar pelas mãos de vários proprietários ricos, ao longo dos anos, em 1920, o empresário Henrique Lage comprou e construiu um lindo palacete ao estilo romano, para sua amada, uma cantora de ópera italiana. Além da arquitetura com inspiração romana, é possível notar uma mistura de estilos, com elementos neoclássicos.

Imagem ilustrativa

A construção, que hoje é o charme do Parque Lage, é cercada por densa vegetação, está em volta de uma piscina com elementos de mármore, azulejos e ladrilhos italianos, abriga a Escola de Artes Visuais do Parque Lage e o Café du Lage, que dispõe mesinhas à beira da piscina, para agradáveis cafés da manhã. Em frente ao palacete está um extenso gramado com um chafariz, espaço no qual, muitos cariocas e visitantes aproveitam para fazer piquenique. Na propriedade há ainda lagos e grutas artificiais, com imitações de estalactites e um aquário incrustrado nas paredes da gruta.

Reserve sua estada com descontos e curta os melhores parques no Rio de Janeiro!

Escreva um comentário

Sair da versão mobile