Um destino vem ganhando cada vez mais a atenção de viajantes: o Pantanal. O motivo? A novela Pantanal, que desde sua estreia no fim de março, não deixou um telespectador sem se impressionar com as paisagens do bioma que deu nome à novela, cenário principal da trama.

Semana após semana assistindo Jove apaixonar-se por Juma, fomos nós que nos apaixonamos pelas belezas naturais do centro-oeste brasileiro. É a segunda vez que o Pantanal ganha as telas da TV; a novela atual é um remake da primeira versão, de 1990, já considerada um clássico. 

Para além do horário nobre da Rede Globo, a biodiversidade do Pantanal surpreende, dentro ou fora d’água. Seja no período de seca ou de cheia, uma jornada em uma das maiores planícies alagadas do planeta, com mais de 200 mil km², é digna de ser incluída na lista de viagens mais incríveis pelo Brasil.

Para conhecer o que há de melhor no Pantanal, confira a seguir os detalhes desse lugar – literalmente – cinematográfico.

Onde fica o Pantanal?

Passeio de barco pelas águas do Pantanal.
Brasil, Paraguai e Bolívia são os três países por onde se estende a natureza pantaneira

O Pantanal é, na verdade, um bioma que se estende pelo Brasil, pelo Paraguai e pela Bolívia, ocupando aqui no país os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. Conhecidos, então, respectivamente como Pantanal Norte e Pantanal Sul, as duas regiões guardam atrações naturais e culturais que não podem ficar de fora do roteiro de quem busca explorar o que há de mais bonito por lá.

Pantanal Norte

Pesca esportiva nas águas do Pantanal.
A pesca esportiva é uma das atividades mais praticadas no Pantanal Norte

Pantanal Norte corresponde ao Mato Grosso e as cidades que se situam nesta parte do mapa são Cáceres, Poconé e Barão do Melgaço. A região é excelente recomendação para quem pensa em conhecer mais a cultura local, assistindo às performances de dança, provando comidas típicas, curtindo festejos tradicionais e, claro, o artesanato.

Embora tenha muito de cultura no Pantanal Norte, a natureza também protagoniza a cena. Os amantes de pesca esportiva podem aproveitar o destino ao máximo com distintas espécies de peixes nas águas doces dos rios – em Cáceres tem até um Festival Internacional de Pesca realizado todo ano. É no Pantanal Norte que está também a terceira maior baía do Brasil, a Baía de Chacororé, que é parada obrigatória.

Pantanal Sul

Safári fotográfico no Pantanal.
Para curtir a natureza em sua forma mais selvagem, o Pantanal Sul é aposta sem erro

Mato Grosso do Sul é onde está localizado o trecho do Pantanal Sul, que abriga cidades como Aquidauana, Corumbá, Miranda e Porto Murtinho. Neste lado do mapa, os fãs de natureza selvagem têm aventuras de sobra para curtir.

Observar animais de pertinho em passeios de canoagem, focagem noturna, safáris fotográficos e até trilhas pelas matas ou cavalgadas, são um prato cheio para experiências marcantes e um contato ainda mais próximo com as diversas espécies em seu habitat natural.

Quando viajar para o Pantanal

Cair da noite no Pantanal.
Em todas as épocas o Pantanal apresenta paisagens surpreendentes, distintas entre si

Com temperaturas que costumam ser altas em todos os meses, o Pantanal tem clima tropical, com chuvas mais fortes durante o verão e clima mais seco no inverno. A média costuma se manter na casa dos 25 a 30ºC, variando entre temperaturas mais amenas de abril a setembro e um pouco mais quentes de outubro a março.

No início do ano é quando acontece o período de alagamento, chegando ao auge nos meses de fevereiro e março. Depois dessa fase vem o clima mais seco, propício para quem deseja encontrar os bichinhos de perto, que passam a habitar as margens dos rios e ficam mais fáceis de serem vistos.

Vale lembrar que todas as épocas do ano podem ser ótimas opções para explorar a região. Tudo depende de quais atividades serão as prioridades do viajante, já que os períodos acabam proporcionando experiências bastante diferentes.

Maravilhas naturais

Onça-pintada no rio do Pantanal.
A região guarda uma das biodiversidades mais incríveis do país, com milhares de espécies

O bioma pantaneiro guarda uma riquíssima variedade de espécies de plantas e animais. É essa surpreendente diversidade que fez a Unesco declarar a região como Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera, tamanha importância da sua natureza para o mundo. Entre flora terrestre e aquática, são mais de 2 mil diferentes espécies. 

A fauna também chega a mais de mil tipos somando aves, mamíferos, répteis, peixes e anfíbios. É possível avistar onças-pintadas, tamanduás, cervos, capivaras, ariranhas, sucuris e várias outras dezenas de bichos. Sem falar dos múltiplos cenários, marcados pelo verde das densas matas densas e dos rios que ainda formam praias de água doce.

Lugares para visitar

As paisagens de natureza do Pantanal são, sem dúvidas, o destaque da região. Há lugares que não podem passar batido no roteiro de quem viaja para lá. Além dos cenários naturais, dá ainda para estreitar o contato com a cultura e com a história local em museus, construções antigas, festas tradicionais e lugares que reúnem artesanatos produzidos localmente.

Parque Nacional do Pantanal Mato-Grossense

É impossível ir ao Pantanal e não querer aproveitar ao máximo o que há de mais bonito na região. Por isso, o ecoturismo é o seu principal ponto forte, garantindo diversas atividades de imersão no cenário, a maioria ecoturística e de aventura. Um bom lugar para vivenciar esse tipo de experiência é o Parque Nacional do Pantanal Mato-Grossense, que ocupa uma área de mais de 130 mil hectares. 

Uma dica é aproveitar o passeio durante o período de seca, quando animais como jacarés, capivaras, cervos e onças-pintadas ficam mais à vista. Além da observação dos animais, é possível realizar caminhadas, travessias pelos rios e até piqueniques em áreas permitidas. Vale lembrar que são necessárias a companhia de um guia especializado e uma autorização emitida com 15 dias de antecedência para realizar o passeio no parque.

Projeto Arara Azul

Outro lugar imperdível para se conhecer no Pantanal é o Projeto Arara Azul, dedicado à preservação da espécie ameaçada de extinção. Ele funciona desde 1990 na região, contribuindo com a proteção da espécie e proporcionando aos visitantes, além da reflexão sobre o meio ambiente, a observação dessas belas aves em seu habitat natural.

Estrada Parque

Há quem diga que essa é uma das melhores maneiras de estreitar o contato com a vida selvagem pantaneira. Percorrendo cerca de 120 km, a Estrada Parque está em perfeita harmonia com as paisagens naturais do Pantanal, permitindo que, durante o trajeto, realizado em cerca de 4h, animais de diversas espécies sejam flagrados enquanto os veículos cruzam a estrada. 

Durante o período de chuvas, é recomendado que o tour seja efetuado em veículos 4×4 por conta de pontos alagados. O passeio pode ser realizado com agências especializadas, na companhia de guias, ou até mesmo por conta própria, alugando um carro. Há opções de restaurantes em algumas pousadas no decorrer do caminho.

Morro do Paxixi e Trilha dos Mirantes

Dois lugares para quem ama trilhas! Os fãs de aventuras ecoturísticas podem visitar o Morro do Paxixi, em Aquidauana, para realizar a Trilha Pôr do Sol do Paxixi, acessada pela Estrada Parque de Piraputanga e que garante, ao fim do dia, um visual incrível do sol se pondo ao horizonte. A trilha pode ser feita a pé, de motocicleta ou até mesmo de bike. 

Outro passeio sem erro para os amantes de trekking é a Trilha dos Mirantes, que fica localizada na Chácara dos Mirantes, em Piraputanga, tem quase 3 km de extensão e garante vistas panorâmicas dos seus mirantes no fim do trajeto.

Forte Coimbra

Para conhecer um pouco da história do país, uma visita ao Forte Coimbra, construção portuguesa erguida no século XVIII, vale super a pena. O forte está em Corumbá, na margem direita do Rio Paraguai e na fronteira tríplice entre o Brasil, a Bolívia e o Paraguai. A fortificação serviu, à época, como ponto estratégico na Guerra do Paraguai e é hoje tombada pelo Iphan. A atração tem visita guiada e entrada gratuita.

Casa do Artesão

Outra parada imperdível para quem visita a região é a Casa do Artesão, referência de artesanato no destino que conta com exposições de obras produzidas por artistas locais e, na maioria das vezes, feitas com matérias-primas naturais encontradas no próprio Pantanal. Sem contar que a Casa do Artesão está localizada em um prédio histórico, o que, por si só, já vale a pena a visita. Passeio perfeito para quem deseja levar na bagagem de volta lembrancinhas e um pouco da cultura pantaneira.

Onde se hospedar

Combinar uma viagem ao Pantanal com uma hospedagem perfeitamente integrada à natureza local é, sem dúvidas, garantia de uma jornada ainda mais especial pelas belezas da região. Quando a estadia oferece infraestrutura completa, serviços impecáveis e mimos aos hóspedes, então, vale muito mais a pena.

Araras Eco Lodge

Vista aérea do Araras Eco Lodge, hospedagem no Pantanal.
O Araras Eco Lodge garante diversão, contato com a natureza e experiências épicas

Localizada em Poconé, em perfeita sintonia com a área verde ao redor, a pousada Araras Eco Lodge é daquelas hospedagens que garantem o máximo de diversão em um dos destinos mais ricos em natureza do país. Além da total imersão nas paisagens, a pousada tem piscina climatizada com bar molhado, mirantes para observar as redondezas sob outras perspectivas e uma lista de atividades incríveis para conhecer o destino, como caminhadas, safáris, canoagem e até palestras que trazem detalhes locais. Tudo isso acompanhado de guia especializado.

Pousada Piuval

Área externa da Pousada Piuval, localizada no Pantanal.
A Pousada Piuval está em perfeita harmonia com a natureza pantaneira

Um refúgio para estreitar o contato com a natureza genuína do Pantanal. Em Poconé, a Pousada Piuval garante uma experiência marcante no Mato Grosso. Ela está perfeitamente integrada com as paisagens que a cercam e conta ainda com infraestrutura de lazer completa, a começar pela piscina com atendimento do bar, sala de jogos, playground e redário. Os hóspedes ainda podem contratar os passeios para conhecerem as maravilhas naturais da região. Vale aproveitar para passear a cavalo, de barco, fazer trilhas e safáris fotográficos de manhã ou à noite.

Como chegar no Pantanal

A maneira mais fácil de chegar ao Pantanal é voando até as capitais Cuiabá, no Mato Grosso, ou Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. A partir de Cuiabá, é possível ir dirigindo por diversas estradas ou rodovias. Para chegar em Poconé, principal porta de entrada para explorar a região, o trajeto na estrada leva em torno de 1h30 partindo da capital mato-grossense. Já de Campo Grande, dá pra ir dirigindo até Aquidauana e o tempo estimado de viagem é de 2h15.


Gostou? Para conhecer o Pantanal, nada melhor do que uma hospedagem em perfeita harmonia com a natureza e ainda com descontos imperdíveis do Zarpo!

Bruna Rio Branco

Amante das artes, adora viajar para lugares que inspirem criações artísticas e que tenham a cultura vibrante. Destinos de natureza também estão na sua listinha de favoritos.

Escreva um comentário