“Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”. Essa é a frase que recebe os turistas na Capela dos Ossos em Évora, Portugal. Sentiu um arrepio? Não há motivo: necrópoles não deveriam ser sinônimo apenas de tristeza e morbidez. Visitar locais de descanso final não é prática incomum e muito menos exclusiva de góticos: algumas criptas, catatumbas e cemitérios se tornaram pontos turísticos famosos no mundo todo.

Seja por túmulos de celebridades, conhecimento antropológico, histórias surpreendentes ou riquíssima arte tumular, vale a pena superar o receio e render-se à curiosidade de conhecer lugares improváveis como esses. Confira a seleção do Mag!

Cripta da Sé (São Paulo, Brasil)

Cripta da Sé - São Paulo
A Cripta da Sé guarda restos mortais de membros do clero, como Dom Evaristo Arns | Isabella Marques

A Catedral da Sé, no bairro homônimo da capital paulista, guarda um lugar imperdível para quem deseja conhecer o universo dos cemitérios famosos. A igreja em si já é muito conhecida e não sai dos cartões-postais da cidade, mas o que pouca gente conhece é sua cripta sob o altar. Suntuoso, ainda que pequeno quando comparado à catedral, o espaço é marcado pelo estilo gótico. Colunas, abóbadas e esculturas em Mármore de Carrara chamam a atenção, mas os túmulos são, de fato, as grandes atrações.

São 30 câmaras mortuárias e, apesar de várias delas estarem desocupadas, personagens relevantes na história jazem ali, por exemplo Dom Evaristo Arns, celebrante do culto ecumênico em homenagem a Vladimir Herzog, morto pela Ditadura Militar. O Cacique Tibiriçá, líder indígena à época da chegada dos portugueses, também possui um túmulo no local (apesar de atualmente estar sepultado no Pateo do Collegio, outro ponto histórico, cultural e religioso da cidade). Visitas monitoradas na Cripta da Sé acontecem de terça-feira a domingo, das 9h30 às 16h30, mediante compra do ingresso por R$7 (preço sujeito à alteração).

Como chegar:
A catedral está ao lado da estação Sé do metrô. Endereço: Praça da Sé – Sé.

Conheça todos os hotéis na capital paulista disponíveis no Zarpo

Cemitério da Consolação (São Paulo, Brasil)

Cemitério da Consolação - São Paulo
Repleto de arte tumular, o Cemitério da Consolação é um verdadeiro museu a céu aberto | Isabella Marques

Fundado em 15 de agosto de 1858, o Cemitério da Consolação, um dos cemitérios mais famosos de São Paulo, foi criado para acabar com o costume da época de sepultar corpos no interior das igrejas, uma ameaça à saúde pública. Muitas personalidades estão enterradas ali, entre elas Tarsila do Amaral, Monteiro Lobato, Mário de Andrade, Oswald de Andrade, Ramos de Azevedo e a família Matarazzo, que possui um icônico mausoléu de altura equivalente a um prédio de três andares.

Mesmo com os túmulos de pessoas importantes do cenário nacional, o verdadeiro destaque está na arte tumular que o turista encontra junto às lápides, especialmente as peças de Victor Brecheret, Nicola Roso e Luigi Brizzolara, escultores italianos. Para conhecer o cemitério, são oferecidas visitas guiadas gratuitas às terças e sextas-feiras, às 14h.

Como chegar:
A entrada principal do cemitério está a 500 m da estação Higienópolis-Mackenzie do metrô. Endereço: R. da Consolação, 1660 – Consolação.

Continue o roteiro cultural pelos 20 museus mais legais do Brasil

Cemitério São João Batista (Rio de Janeiro, Brasil)

Cemitério João Batista
No Cemitério São João Batista, o mais famoso do Rio, estão enterrados grandes nomes da história brasileira

No bairro do Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, o Cemitério São João Batista não poderia ficar de fora da lista de cemitérios mais famosos. Inaugurado em 1852 por D. Pedro II, sua história é parecida com a do Cemitério da Consolação: a prática de enterrar os corpos nas igrejas precisava acabar. Além de fascinantes esculturas tumulares, esse museu a céu aberto possui muitas celebridades enterradas, entre elas Tom Jobim, Cazuza, Carmen Miranda, Chacrinha, Vinicius de Moraes e Oscar Niemeyer.

Outro destaque é o mausoléu da Academia Brasileira de Letras, onde estão nomes como Machado de Assis, Manuel Bandeira e Guimarães Rosa. A visita fica por conta do turista e não existe compra de ingresso. Para matar a curiosidade, vale explorar o local pelo Google Street View. O Cemitério São João Batista foi o primeiro da América Latina a ser mapeado pela plataforma.

Como chegar:
A entrada principal do cemitério está a cerca de 1 km da estação Botafogo do metrô. Endereço: R. Real Grandeza – Botafogo.

Conheça no Mag os melhores hotéis do Rio de Janeiro

Cemitério da Recoleta (Buenos Aires)

Cemitério da Recoleta - Buenos Aires
Verdadeiro ponto turístico argentino, o Cemitério da Recoleta possui túmulos grandiosos e histórias curiosas

Um dos cemitérios mais famosos do mundo, o Cemitério da Recoleta está no bairro argentino de mesmo nome. Em área nobre da cidade, o passeio está entre os principais de Buenos Aires. Os visitantes são recebidos por colunas neoclássicas e túmulos majestosos que, além da beleza, são também inestimáveis: mais de 70 deles foram declarados Patrimônio Histórico Nacional.

O túmulo mais visitado é de Evita Péron, adorada atriz e primeira-dama do governo de Juan Perón. O cemitério também possui histórias curiosas, como a da jovem que “morreu duas vezes”, do coveiro que se matou para ser enterrado ali e da menina e seu cachorro que morreram no mesmo dia, mesmo que separados por milhares de quilômetros (seu túmulo, inclusive, possui uma escultura sua com o bichinho). O acesso é livre e na entrada há um mapa do cemitério. Diversas agências, porém, oferecem passeios guiados.

Como chegar:
A entrada do cemitério está a 800 m da estação Facultad de Derecho do metrô e a 750 m da estação Las Heras do metrô. Endereço: Junin, 1760 – Recoleta.

Vai para a Argentina? Confira os hotéis do Zarpo no país!

Cemitério Nacional de Arlington (Washington, EUA)

Cemitério Nacional de Arlington - Washington
Arlington, onde estão enterrados veteranos de guerra, é um dos cemitérios mais simbólicos para os americanos

A pouco mais de 1 km do Lincoln Memorial, em Washington, não é difícil reconhecer o Cemitério Nacional de Arlington de filmes americanos. Repleto de simbolismo, o cemitério é local de descanso de mais de 300 mil pessoas, principalmente veteranos de guerra e civis que atuam em cargos de alto nível no governo. As lápides brancas perfeitamente enfileiradas trazem os nomes dos soldados e a guerra na qual morreram.

O cemitério é famoso também pelo túmulo de John Kennedy e sua família, onde uma chama crepita desde o enterro do presidente, e pelo Túmulo do Soldado Desconhecido. Trata-se de uma homenagem àqueles que morreram em combate e nunca foram encontrados ou reconhecidos: ali estão enterrados três soldados não identificados – um de cada Guerra Mundial e um da Guerra da Coreia. O mausoléu é vigiado o tempo todo, e a cerimônia de troca de guarda acontece a cada hora, aproximadamente. Não é preciso comprar ingresso para visitar o cemitério.

Como chegar:
A entrada para o cemitério está a menos de 500 m da estação Arlington Cemetery do metrô. Endereço: Memorial Ave – Arlington County.

Capela dos Ossos (Évora, Portugal)

Capela dos Ossos - Portugal
As ossadas que ornamentam a Capela dos Ossos de Évora foram retiradas de 42 cemitérios monásticos

Viajando à Europa, mais especificamente à pequena cidade de Évora, a 135 km de Lisboa, a Capela dos Ossos é um dos maiores chamarizes. A frase “Nós ossos que aqui estamos pelos vossos esperamos”, na entrada, já dá o tom à visita: são milhares de ossadas preenchendo as paredes desta capela anexa à Igreja de São Francisco. Construída no século XVII por três monges, a capela foi idealizada para ser um convite à reflexão sobre a efemeridade da vida.

Os ossos foram retirados de 42 cemitérios monásticos e surpreendem todos os visitantes. Mas não pense que a capela é única – Portugal tem outras igrejas adornadas por esqueletos, por exemplo a Capela dos Ossos de Alcantarilha e a Capela dos Ossos de Campo Maior. A Capela dos Ossos de Évora, porém, é a maior. O ingresso custa 5 euros para adultos e 3,50 euros para crianças e jovens com até 25 anos e idosos com mais de 65 anos (preço sujeito à alteração).

Como chegar:
Há um trem que faz o percurso de Lisboa até Évora, e que parte das estações Oriente, Entrecampos, Sete Rios ou Pragal. A estação de Évora está a cerca de 1 km da Igreja de São Francisco. Endereço: Praça 1º de Maio – Évora.

Que tal um roteiro completo por Portugal com dicas do Magazine?

Cemitério Père-Lachaise (Paris, França)

Cemitério Père-Lachaise | Oscar Wilde
O Père Lachaise é famoso especialmente pelos túmulos de Oscar Wilde (foto), Jim Morrison e Allan Kardec

O Père-Lachaise, um dos cemitérios mais famosos do mundo (e também o mais visitado!), foi inaugurado em 1804 por Napoleão Bonaparte e recebeu o nome em homenagem ao padre confessor do Rei Luís XIV. O cemitério não ficou popular logo de cara, por estar afastado do centro da cidade e por ter o princípio de igualdade: qualquer pessoa, independente de religião, nacionalidade e posição social poderia ser enterrada ali. Para atrair mais sepultamentos, os restos mortais de quatro celebridades foram transferidos para lá: o escritor e dramaturgo Molière, o poeta La Fontaine, e os amantes Heloise e Abelard, que têm uma história à la Romeu e Julieta.

Com o tempo, o cemitério ganhou prestígio e hoje possui mais de 70 mil jazigos, entre eles grandes nomes como Eugène Delacroix, Oscar Wilde, Chopin, Edith Piaf, Allan Kardec e Jim Morrison. No túmulo de Wilde, por exemplo, era tradição deixar uma marca de batom, e no de Jim Morrison não era raro encontrar garrafas e cigarros deixados por jovens roqueiros. Atualmente as duas práticas foram inviabilizadas. No Père-Lachaise também há memoriais a vítimas do Voo AF447, aos combatentes da Comuna de Paris (fuzilados no cemitério) e aos mortos no campo de concentração Mauthausen-Gusen. O acesso ao local é livre, e na entrada há um mapa dos túmulos.

Como chegar:
A entrada principal do cemitério está a 350 m da estação Père-Lachaise do metrô e a 250 m da estação Philippe Auguste do metrô. Endereço: 16 Rue du Repos.

Catacumbas de Paris (Paris, França)

Catacumbas de Paris - França
Visitar as Catacumbas de Paris, 20 m abaixo do nível das ruas, é opção diferente de passeio na capital francesa

O turismo parisiense vai muito além da Torre Eiffel, e as Catacumbas de Paris são prova disso. Com a superlotação dos cemitérios na capital francesa no final do século XVIII, cemitérios fora da cidade precisaram ser construídos. Ao mesmo tempo, era preciso liberar o espaço e transferir as milhões de ossadas para algum lugar. A escolha foi um trecho dos 300 km de túneis escavados durante a exploração de calcário, e desativados no século XV.

A 20 m abaixo do nível da rua, Catacumbas de Paris é o nome dado a 1,5 km de túneis preenchidos por ossos muito bem organizados, ornamentando as paredes. A surpreendente visita é conduzida por um audioguia e leva cerca de 1h. Como o número de visitantes é limitado a 200 pessoas por vez, é comum ter fila para entrar. O ingresso custa 29 euros para adultos e 5 euros para crianças e jovens até 17 anos (preço sujeito à alteração).

Como chegar:
O acesso às catacumbas está a 120 m da estação Denfert-Rochereau do metrô. Endereço: 1, avenue du Colonel Henri Rol-Tanguy.

Cemitério de Highgate (Londres, Reino Unido)

Cemitério de Highgate - Londres
No West Cemetery, em Highgate, árvores e trepadeiras disputam espaço com as lápides centenárias

No início do século XIX, com enterros em locais inapropriados, covas rasas e o aumento populacional, a criação de espaços para sepultamentos tornou-se uma necessidade de saúde pública em Londres. Com isso, sete necrópoles foram planejadas, entre elas o Cemitério de Highgate, que teve o lado oeste (West Cemetery) inaugurado em 1839 a cerca de 8 km do centro de Londres. Diferente de outros cemitérios famosos desta lista, o de Highgate ganhou fama rapidamente, tanto que, em 1856, precisou ser expandido ao leste (East Cemetery).

No West Cemetery túmulos vitorianos e vegetação competem e a atmosfera dada é a de clássicas histórias de terror. Não à toa, boatos sobre vampiros não foram raros com o passar dos anos. A Egyptian Avenue e o Circle of Lebanon são dois conjuntos de jazigos que chamam atenção. O East Cemetery é mais simples, porém bastante conhecido graças ao túmulo de Karl Marx. Para visitar todo o cemitério é cobrado 12 libras para adultos e 6 libras para crianças e jovens de 8 a 17 anos (crianças abaixo de 8 anos não são permitidas no passeio). O ingresso inclui visita guiada em inglês no lado oeste e acesso ao lado leste (preço sujeito à alteração).

Como chegar:
O cemitério está a pouco mais de 1 km da estação Archway do metrô. Se preferir pegar um ônibus ao invés de caminhar, as linhas 143 e 271 são as indicadas. Endereço: Swain’s Lane, London N6 6PJ.

Confira no Zarpo os hotéis da coleção Cultura e Patrimônio

Abadia de Westminster (Londres, Reino Unido)

Abadia de Westminster
Além de casamentos reais, a Abadia de Westminster é cenário de enterros de monarcas, cientistas e escritores

A Abadia de Westminster é um dos pontos turísticos mais icônicos de Londres, mas nem todo mundo sabe que visitar a famosa igreja dos casamentos e coroações reais é viver um pouco do turismo cemiterial. Grandes nomes foram sepultados ali, por exemplo Isaac Newton, Charles Darwin e Stephen Hawking. Já no Poets’ Corner mais de 100 poetas e escritores estão enterrados ou possuem um memorial, entre eles Shakespeare, Jane Austen e Charles Dickens.

O local foi escolhido também para descanso final de 30 monarcas, além do funeral de Lady Di, a Princesa de Gales. Outro destaque é o túmulo The Unkown Warrior, onde jaz um soldado britânico não identificado, morto durante a Primeira Guerra Mundial. Ele recebe, por tradição, os buquês dos casamentos reais como homenagem. Os ingressos para visitar a igreja custam 20 libras para adultos, 17 libras para estudantes e idosos com mais de 60 anos e 9 libras para crianças de 6 a 16 anos, e inclui um audioguia (preço sujeito à alteração).

Como chegar:
A abadia está no centro de Londres, a cerca de 300 m da estação Westminster do metrô. Endereço: 20 Deans Yd, Westminster, London SW1P 3PA.

Pirâmides de Gizé (Gizé, Egito)

Pirâmides de Gizé - Egito
Um dos grandes mistérios da humanidade, as Pirâmides de Gizé foram construídas como tumbas para faraós

Quéops, Quéfren e Miquerinos, as três Pirâmides de Gizé, dominam o imaginário popular sobre o Egito. As tumbas dos faraós da Quarta Dinastia estão em uma área chamada Necrópole de Gizé, o “cemitério” mais antigo, imponente e famoso do mundo. O conjunto, que também inclui a esfinge, é o única das Sete Maravilhas do Mundo Antigo que resistiu até os dias atuais. As pirâmides são repletas de mistérios, afinal, como puderam ser construídas há mais de 4.500 anos?

Na Grande Pirâmide, como é conhecida Queóps, que já teve 146 m de altura (hoje, sem a ponta, mede 138 m), foram usados mais de dois milhões de blocos de pedra, cada um deles com peso médio de duas toneladas. Dentro dela, um caminho apertado conduz à Câmara do Rei, onde só sobrou um sarcófago de pedra vazio – todo o resto foi saqueado antes mesmo do ano 1. Para conhecer a necrópole é cobrado um ingresso de 80 libras egípcias, cerca de R$15. Entrar nas pirâmides exige compra de um ingresso separado; o ingresso para conhecer o interior de Queóps custa 200 libras egípcias, o equivalente a R$40 (preço sujeito à alteração).

Como chegar:
As pirâmides estão a cerca de 9 km da estação Al-Giza do metrô. Uma vez na estação, a dica é pegar um táxi até a entrada do complexo.

Taj Mahal (Agra, Índia)

Taj Mahal - Índia
Magnífico mausoléu construído para uma imperatriz, o Taj Mahal é uma das Sete Maravilhas do Mundo Moderno

E para quem acha que o romance não tinha lugar nesta lista de cemitérios famosos, o Taj Mahal prova o contrário. O mausoléu fica em Agra, a cerca de 3h da capital Nova Deli, e foi construído entre 1631 e 1648 a mando do imperador Shah Jahan em memória de sua terceira esposa, Mumtaz Mahal. Os túmulos do casal permanecem até hoje no local, motivo pelo qual o Taj Mahal é chamado de “Monumento do Amor”.

Sua grandiosidade e beleza lhe renderam a alcunha de Patrimônio Mundial da Humanidade, concedida pela Unesco, e um lugar na lista das 7 Maravilhas do Mundo Moderno. Todos os dias milhares de pessoas maravilham-se pela construção e também pelos jardins, espelhos d’água e interior do “palácio”. As crianças até 15 anos não pagam e, para adultos, o ingresso custa 1.300 rúpias, o equivalente a cerca de R$70 (preço sujeito à alteração).

Como chegar:
O Taj Mahal está a pouco mais de 3 km das estações de trem Agra City e Agra Fort. Para chegar ao mausoléu, a dica é pegar um táxi ou um tuk tuk, transporte muito popular na Índia.
Autor

Fascinada por metrópoles (São Paulo <3) e por histórias, gosta de achar turismo em lugares pouco óbvios, mas também não dispensa passeios em cartões-postais, comprinhas e jantares românticos.

Escreva um comentário