O Outubro Rosa é o mês de conscientização sobre o câncer de mama. Parte essencial da campanha é compartilhar informações sobre a importância do autoexame das mamas e do acompanhamento médico. Indo além, é momento também de voltar nossa atenção para organizações que trabalham o ano inteiro para a causa.

Mais do que o autocuidado, é possível contribuir de outras formas para o cuidado de outras mulheres. São diversas iniciativas com diferentes ações voltadas para o câncer de mama, de capacitação profissional a banco de perucas.

Confira a seguir mais sobre três associações com atuação a nível nacional, e formas de apoiá-las.

Femama

Criada em 2006, a Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama é uma associação que tem como objetivo ampliar o acesso ao diagnóstico e ao tratamento do câncer de mama. Sua presença em diferentes estados é por meio de ONGs associadas, articuladas pelo Femama. As ONGs podem podem ser consultadas no site, de acordo com a localização e a atuação.

Além da atuação das ONGs, a organização atua também na esfera pública, influenciado a criação de políticas públicas de atenção à saúde da mama. Entre as conquistas alcançadas está a Lei da Mamografia, que regulamenta o exame a partir dos 40 anos pelo SUS.

Américas Amigas

A Américas Amigas é uma Organização da Sociedade Civil e Entidade Promotora dos Direitos Humanos, que tem como missão reduzir a taxa de mortalidade por câncer de mama entre brasileiras. Assim, sua atuação têm três pilares: doação de equipamentos e insumos para hospitais públicos e filantrópicos, capacitação e treinamento de profissionais, e doação de exames, como mamografia, ultrassom e biópsia.

As ações são direcionadas especialmente às mulheres em situação de vulnerabilidade. Entre as principais doações da Américas Amigas, destaque para os 23 mamógrafos, 20 deles instalados em diferentes estados brasileiros e três em unidades móveis. Dois deles, em navios, levam o acesso ao exame a populações ribeirinhas.

Fundação Laço Rosa

A Fundação Laço Rosa foi criada em 2011 por Aline Lopes, que foi diagnosticada com câncer de mama em 2007 e veio a falecer em 2011, e suas irmãs, Andrea Ferreira e Marcelle Medeiros. O objetivo inicial foi orientar pessoas com câncer de mama, com a criação de um portal de referências sobre a doença. Com o tempo outras iniciativas tomaram forma, como o encontros nacionais de pacientes, e o Rosas no Morro, projeto que leva palestras e workshops sobre câncer de mama e direito da mulher para comunidades.

Além da contribuição financeira, é possível também doar cabelos para o Banco de Perucas. Neste programa, pacientes com qualquer tipo de câncer podem solicitar uma peruca para resgate da autoestima.

Conheça outras ONGs para apoiar

São inúmeras outras ONGs espalhadas por todo o Brasil, muitas delas com atuação local. As ações são diversas, desde doação de exames até acompanhamento psicológico após o tratamento. Existem até mesmo bancos de sutiãs e projetos de micropigmentação da aréola para mulheres mastectomizadas. 

Em São Paulo, conheça a UNACCAM (União e Apoio no Combate ao Câncer de Mama) e o GAMA (Grupo de Amparo Momento de Amar). Em Niterói, no Rio de Janeiro, informe-se sobre a ADAMA (Associação dos Amigos da Mama), e em Belo Horizonte, Minas Gerais, sobre a ASPEC (Associação Solidária às Pessoas com Câncer). Na região Sul, a Amigas da Mama está em Curitiba, no Paraná.

Vale pesquisar e conhecer mais sobre iniciativas na sua cidade. É possível colaborar financeiramente, e também através de voluntariado. Além da informação e do autocuidado, a solidariedade é fundamental na luta de todas contra o câncer de mama.

Isabella Marques

Fascinada por metrópoles e por histórias, gosta de achar turismo em lugares pouco óbvios, mas também não dispensa passeios em cartões-postais, comprinhas e jantares românticos.

Escreva um comentário