Andar sem pressa, cotidiano desacelerado, observar o pôr do sol nas ramblas acompanhado de uma garrafa de mate são os traços que formam a personalidade do Uruguai. O segundo menor país da América do Sul, perdendo apenas para o Suriname, tem um ritmo de vida único e uma receptividade que só quem visita sabe, além de ser dono de uma valiosa e grandiosa cultura que é expressa a partir de sua capital, Montevidéu. Um verdadeiro baú de histórias, a cidade que nasceu com o intuito de ser uma fortaleza militar no século XVIII para conter as tropas portuguesas em função da disputa do Rio da Prata, exterioriza sua origem nos preservados casarões da Ciudad Vieja, em prédios e palacetes, na Plaza da Independencia e no Mercado del Puerto.

No entanto, o que difere Montevidéu das demais capitais latinas não é a arquitetura, cultura e tampouco a gastronomia. A educação dos uruguaios é realmente de impressionar! Acolhedores e extremamente solícitos, os nativos adoram receber os turistas, principalmente os brasileiros. Limpeza nas ruas, forte investimento no bem-estar social, árvores por toda a parte, o cremoso dulce de leche e a atmosfera tranquila fazem da charmosa cidade um destino apaixonante e surpreendente em cada detalhe.

Confira no Mag um roteiro de 4 dias com as melhores atrações da capital uruguaia e apaixone-se por nossos vizinhos meridionais!

Conheça Salta, uma província colonial situada no noroeste da Argentina.

E descubra 4 destinos internacionais para curtir nos finais de semana e feriados!

1º dia: Explore a Ciudad Vieja por diversos ângulos

Ciudad Vieja - Montevidéu

Caminhar pela Ciudad Vieja, o bairro mais antigo de Montevidéu, é uma verdadeira viagem no tempo, além de ser um passeio muito agradável e opção perfeita para desfrutar o primeiro dia na cidade. O que há algumas décadas estava em completo estado de abandono, atualmente está totalmente restaurado e conservado, sendo parada turística obrigatória e abrigo de pontos icônicos da história uruguaia. O roteiro de lugares a visitar começa na Plaza Independencia, situada no limite entre a Ciudad Vieja e o Centro Novo. No passado, Montevidéu era cercada por uma muralha a fim de proteger o território de invasões inglesas e portuguesas. Essa região, que ocupava mais da metade da Plaza Independencia, era conhecida como Ciudadela e atualmente corresponde a Ciudad Vieja. Da muralha nada restou, a não ser a Puerta de la Ciudadela, portal que ainda preserva a arquitetura neoclássica espanhola.

Hospede-se com requinte em frente à Plaza Independencia!

Plaza Independencia - Montevidéu

É na Plaza Independencia que está também a estátua em homenagem a José Gervasio Artigas, um general considerado herói nacional por lutar pela independência uruguaia, e o Mausoléu General Artigas, um monumento funerário subterrâneo que abriga os restos mortais de Artigas. Ao redor da praça, está o Palácio Salvo, desenhado pelo arquiteto italiano Mario Palanti e considerado o mais alto edifício da América do Sul por anos, o Teatro Solís, símbolo arquitetônico de todo o país e onde é possível fazer visitas guiadas (confira os horários e preços no site oficial), e o Palácio Estevéz, antiga sede governamental que atualmente funciona como um museu dedicado à democracia uruguaia.

Conforto, design e boa localização! Hospede-se a 400 m da Plaza Independencia.

Catedral Metropolitana de Montevidéu

Seguindo pela Ciudad Vieja, outro ponto indispensável a visita é a Catedral Metropolitana de Montevidéu. Inaugurada em 1804 e com arquitetura expressa ao melhor estilo neoclássico espanhol, está diante da Plaza de la Constitución e é considerada um templo católico para os uruguaios. No entanto, independente da religião, a visitação vale muito a pena! Aberta ao público e gratuita, a riqueza de detalhes no interior da catedral é impressionante. Além de ter sido cenário de momentos históricos como a benção da bandeira uruguaia e juramento da constituição do país, prestar serviços religiosos como missas, batizados e casamentos, a catedral abriga restos mortais de personalidades eclesiásticas e militares como Fructuoso Rivera, Juan Antonio Lavalleja e Venancio Flores.

Todos esses pontos podem ser visitados em um dia e ficam ainda mais interessantes quando guiados por empresas que fazem walking tour, como o Curioso Free Tour. Com guias nativos, a empresa realiza caminhadas para a Ciudad Vieja e explica detalhadamente cada ponto citado acima. O tour tem como ponto de encontro a Plaza Independencia e acontece de segunda à sexta em dois horários, às 10h30 e 15h30, e aos sábados às 11h. O passeio dura cerca de 2h e 30 minutos e o grupo pode ser dividido em duas partes. Ambos realizam o mesmo trajeto, a diferença é que, de acordo com a preferência do turista, um tour é realizado em espanhol e o outro em inglês.

Intendencia de Montevideo
Carolina Bonaba/ CC BY-SA

Por fim, o passeio pela Ciudad Vieja e arredores pode terminar na Avenida 18 de Julio, uma das principais de Montevidéu. É nesta avenida que está a Intendencia de Montevideo (prefeitura). No 22° andar do edifício há um mirante com acesso gratuito, de onde é possível ver toda a cidade. O visual é incrível e pode ser apreciado de segunda a domingo, das 10h às 16h, com acesso até às 15h45 da tarde. Para comprar boas lembrancinhas com toda a habilidade artesanal uruguaia, vá até o Mercado de los Artesanos, a cerca de 650 m da Intendencia.

2º dia: Saboreie o famoso churrasco uruguaio no Mercado del Puerto

Gastronomia - Montevidéu

O setor agropecuário é a principal atividade e fonte de renda do Uruguai, tendo a carne bovina como o mais importante produto de exportação, movimentando bilhões de dólares. Conhecido como asado, o churrasco uruguaio faz jus à fama que tem mundo afora. Algumas diferenças são evidentes em relação às churrasqueiras do Brasil, desde o modo de preparo até o modo de servir. Primeiro que não há serviço de rodízio e os acompanhamentos são simples, como saladas, arroz, batata frita ou batata doce. As carnes não são furadas no espeto e as peças são postas inteiramente nas grelhas, as chamadas parrillas. No entanto, a maior características é o sistema de preparo. Para evitar alteração no sabor da carne e dar um gostinho todo especial, o carvão ou madeira usados para assar são queimados separadamente e o fogo é mantido apenas com a brasa.

Mercado del Puerto - Montevidéu

O Mercado del Puerto é um dos lugares mais indicados para experimentar o sabor das carnes uruguaias. Nele, diversos restaurantes conquistam os clientes pelo cardápio e por servir gratuitamente uma amostra do vinho que pode acompanhar a refeição. Os preços variam conforme o estabelecimento, mas a média é geralmente alta. É necessário atenção quando pedir “carne bem ou mal passada”, pois esses conceitos são diferentes no Uruguai. A carne mal passada, chamada de jugosa, vem crua. O ideal é pedir al punto, onde a carne vem macia e suculenta. Após almoçar em um dos pontos icônicos de Montevidéu, os visitantes podem estender o passeio pelas redondezas.

Librería Más Puro Verso - Montevidéu
Imagem ilustrativa

A Librería Más Puro Verso, localizada a pouco menos de 2 km do Mercado del Puerto é o verdadeiro paraíso para os amantes de livros. Apesar de não ser parada da maioria dos roteiros convencionais, vale a visita! Projetada pelo arquiteto italiano Leopoldo Tosi, ao melhor estilo art nouveau, ela ocupa o térreo e o primeiro andar do Edifício Pablo Ferrando, construído em 1917 e tombado como Patrimônio Histórico. Conta ainda com café, restaurante e lanchonete.

Feira de Tristán Narvaja - Montevidéu
Jorge Gobbi/Flickr CC-BY

Outra opção é conhecer a Feira de Tristán Narvaja, a 4 km do Mercado del Puerto. A clássica feira de rua acontece todos os domingos em Montevidéu a mais de cem anos, do começo da manhã até o meio da tarde. Devido ao seu crescimento, não ocupa mais só a esquina da rua Tristán Narvaja, mas sim diversas ruas ao redor. As ruas apertadas e a mistura de produtos que são vendidos não agrada todo tipo de turistas, mas a experiência é valiosa. Lá, é possível encontrar de tudo um pouco, desde antiguidades e roupas usadas, até peças novas, plantas, verduras, artesanato, discos e livros.

Mercado do Porto: Rambla 25 de Agosto, 11000 – Montevidéu

Librería Más Puro Verso: Av. 18 de Julio, 1199 (esquina Cuareim) – Montevideo

3º dia: Aproveite Montevidéu ao ar livre

Montevidéu ao ar livre

Uma das melhores maneiras de aproveitar a essência de Montevidéu é, de fato, incorporar o ritmo de vida tranquilo e desacelerado dos nativos. Os uruguaios levam a rotina com serenidade e reservam, pelo menos, uma hora do dia para curtir as ramblas, sempre acompanhados de uma garrafa de mate. Ramblas são as avenidas litorâneas que percorrem toda a cidade. Geralmente, seu nome muda de acordo com o bairro onde está localizada. Passear por essas vias é um dos passeios mais agradáveis para se fazer durante a viagem.

Ramblas - Montevidéu

Seja de dia ou de noite, a pé, carro ou bicicleta, com ou sem praia, passear pelas ramblas garante uma coisa: a belíssima vista da costa uruguaia. Independente da localização que o turista estiver, alguns locais devem fazer parte do roteiro, por exemplo a Playa de los Pocitos. Localizada no bairro homônimo, um dos melhores da cidade, é caracterizada pela atmosfera jovem, bons restaurantes e é uma cobiçada praia durante do verão uruguaio, além de abrigar o letreiro que leva o nome da capital. As próximas paradas devem incluir a Playa del Buceo, Playa Malvin e Playa Ramírez, esta situada em frente ao famoso Parque Rodó.

Parque Rodó - Montevidéu
Vince Alongi/Flickr CC-BY

O Parque Rodó, um dos mais conhecidos da cidade, é uma homenagem ao escritor uruguaio José Henrique Rodó. Localizado no bairro de mesmo nome, está em frente à Playa Ramírez, ao lado do edifício sede do Mercosul e a pouco mais de 1 km Punta Carretas, onde está o sofisticado Punta Carretas Shopping. Diferente dos parques brasileiros, é totalmente aberto e algumas ruas se cruzam em seu interior. Dividido em duas partes, uma para adultos e outra para crianças, o parque é arborizado e traduz toda calmaria dos uruguaios, com crianças brincando, amigos em roda conversando e tomando mate, grupo de pessoas praticando algum tipo de exercício ou apenas curtindo o sol ao ar livre.

Bares - Montevidéu
Imagem ilustrativa

O Parque Rodó conta ainda com lago para pedalinho, um pequeno castelo que funciona como biblioteca infantil, Museu de Artes Visuais, Casino Municipal e uma feirinha de artesanato que acontece todos os domingos, além de um parque de diversões com brinquedos nostálgicos alá anos 90. Para curtir a noite, uma excelente opção é o Bar Lola, a 1 km do Parque Rodó. Bem decorado, agradável e com um toque alternativo, o local conta com um bar e uma pista de dança no subsolo, e serve porções, lanches, drinks e cerveja.

Bar Lola: R. Maldonado, 1990 – Montevidéu | Tel.: (+598) 94 933 702

4º dia: Conheça além de Montevidéu, visite Punta del Este

Punta del Este - Montevidéu

Mesmo com o tempo curto, reserve um dia para conhecer as belezas para além de Montevidéu. Algumas empresas realizam bate e volta até a deslumbrante Punta del Este, passando por pontos como a cidade de Piriápolis. Localizada em Maldonado, a cerca de 100 km de Montevidéu, este pequeno balneário fundado por Dr. Francisco Piria tem charme singular, arquitetura ao melhor estilo alemão e remete à uma pacata vila do interior. Além da beleza evidente, a cidade une todos os atrativos para uma viagem satisfatória: cenário exuberante, passeios ecológicos, lugares históricos, bons restaurantes e opções para curtir a vida noturna.

Casapueblo - Montevidéu

A próxima parada é Punta Ballena, na antiga casa de verão do arquiteto e artista plástico uruguaio Carlos Paéz Villaró, que hoje em dia abriga restaurante, museu e hotel. A Casapueblo é, inegavelmente, uma obra de arte por si só! O lugar encantou Villaró em 1958 e suas limitações como falta de água e luz não impediram para que ele realizasse sua construção, que nasceu a partir de uma minúscula casa de lata. Coberta com cimento e modelada à mão, a Casapueblo respeita a paisagem da natureza e sua arquitetura lembra à charmosa Santorini, na Grécia. Além de todo seu magnetismo e atmosfera cultural, a Cerimônia do Pôr do Sol deixa claro o porquê Carlos Paéz Villaró se apaixonou à primeira vista pelo local. O ingresso deve ser pago a parte e vale cada centavo.

Punta del Este - Mão

Por fim, a badalada e luxuosa Punta del Este é o grande destaque quando o assunto é turismo no Uruguai. Diferente da atmosfera histórica e levemente antiga de Montevidéu, o balneário pertencente ao departamento de Maldonado exala alegria, caracterizando-se pela atmosfera jovem. Ainda que conhecida por receber celebridades e pessoas de classe média, o público de Punta é bem eclético e vêm cada vez mais ganhando o gosto dos brasileiros. Evidentemente, a melhor época para conhecer é no verão, que vai do final de novembro até fevereiro – as temperaturas chegam a bater incríveis 40°.

Hospede-se em Punta del Este, em um dos resorts mais famosos do planeta!

Autor

Amante do ecoturismo, a natureza é sempre seu destino preferido! Viaja para recarregar as energias, conhecer pessoas, trocar experiências e voltar para casa com um pouquinho de cada lugar dentro de si.

Escreva um comentário